Postagem Observatório

Partido de Evo Morales reconhece governo interino e abre caminho para novas eleições na Bolívia

Data da publicação:

O Movimento ao Socialismo (MAS), partido do ex-presidente Evo Morales, destravou as negociações para a convocação de novas eleições na Bolívia ao reconhecer que Morales e seu vice, Álvaro García, abandonaram suas funções ao embarcarem rumo ao México e que, portanto, o governo interino de Jeanine Áñez é "legítimo". As informações são do jornal local El Deber, citado pelo Valor Econômico.

Assim que for confirmada a mesa da comissão, já teve início da tramitação do projeto de lei que anulará o pleito de outubro, apontará novos membros do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) e, por fim, convocará nova eleição presidencial "no menor tempo possível".

Na Câmara dos Deputados, Sergio Choque, do MAS, assumiu a presidência da casa legislativa e se comprometeu a pautar o projeto para novas eleições assim que o Senado transmitir a matéria após escrutínio.

Apesar da clara melhora do clima político, ainda há divergências, uma vez que não apenas a Áñez apresentou um projeto convocar de novas eleições, mas também o MAS. Além disso, a própria legenda de Evo também tem divisões internas em relação à abordagem com o governo da presidente interina.

O Tribunal Constitucional Plurinacional teve indicado seu novo presidente, Paúl Franco. A liderança da Corte estava vaga desde a renúncia de Petrolino Flores, em consequência da crise política e institucional que a Bolívia mergulhou desde as eleições do dia 20 de outubro.

Redigido por Marcos Jr.

O conteúdo desta matéria pode ser reproduzido livremente, desde que devidamente citadas a fonte e o autor.