Postagem Observatório

Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse

Data da publicação:

Na profecia de João descrita no Apocalipse ou Livro das Revelações, quatro cavaleiros¹ precederão o fim dos tempos, trazendo desgraças e provações. São eles a Peste, a Guerra, a Fome e a Morte.

Após essas duras provações virá então o Dia do Julgamento, quando todos os homens serão julgados e então iniciaremos uma vida em outro plano, tendo terminado nossa jornada no campo material.

Não pude resistir à tentação, dadas as circunstâncias, de fazer essa pequena comparação que segue abaixo. 

O governo Bolsonaro veio para promover o Apocalipse. O Armageddon, o Fim dos Tempos. Para o socialismo. Será um período de privação, de guerra infame, de traições e de muitas revelações. Após esse período turbulento o Brasil entrará em sua fase áurea, realizando todas as falsas profecias de "país do futuro", para desespero desses mesmos falsos profetas que acenavam com esse futuro como a cenoura na frente do burro, plenamente cientes de que fariam o possível para que este futuro nunca se realizasse.

Apeados do poder esses farsantes estão presenciando a cavalgada dos Quatro Cavaleiros do Apocalipse da Esquerda. Pois é a ela que são dirigidas as forças destruidoras desses arautos de mudanças.

O primeiro cavaleiro desse apocalipse é o próprio presidente Bolsonaro. Líder anti-frágil persistente e coerente, sua ascensão ao poder representou o primeiro toque da trombeta da derrocada dos pilantras que sempre sugaram o sangue da Nação. Montado em seu cavalo branco ele inspira multidões por sua retidão e coragem, batendo na cara da bandidagem e angariando cada vez mais simpatia entre os honestos.

O segundo cavaleiro chama-se Abraham Weintraub. Declarando guerra contra os maiores e mais covardes vilões que jamais assolaram nosso país, os vermes do sistema de ensino, este cavaleiro vai espalhar essa guerra purificadora por todo o país resgatando a esperança das famílias brasileiras em ver seus filhos recebendo material intelectual suficiente para alguma ascensão social, moral e material. Contra ele erguem-se toda sorte de demônios, serpentes, vermes e insetos. A escumalha nessa área é tão vasta quanto vil e ter um líder preocupado de fato com o bem-estar do aluno é algo absolutamente inaceitável para a bandidagem.

O terceiro cavaleiro traz a peste que vai limpar o meio cultural brasileiro. A peste do Mérito. Seu nome é Roberto Alvim e ele está criando uma verdadeira epidemia de qualidade, de exaltação à Beleza, de busca pela erudição e de valorização da Alta Cultura que vai varrer o cenário das Artes no Brasil aniquilando o Feio, o destruidor e o maligno que até ontem reinavam supremos em seus tronos decompostos e fétidos.

O quarto cavaleiro é uma mulher de rara coragem. 

(1) - existem diversas interpretações para esta profecia. Em algumas o primeiro cavaleiro seria o próprio Cristo. Em outras, o Anticristo. Eu usei a mais popular para esta postagem, que não é um estudo bíblico mas apenas uma alegoria aplicada aos tempos atuais.

Foto por Antonio Cruz/ Agência Brasil