Postagem Observatório

Novas Redes Sociais e Desejo de Fuga

Data da publicação:

A criminalidade esquerdista está cerceando, censurando e maquiando as redes sociais para impedir o crescimento do conservadorismo como força social, cultural e política.

Esse grave problema não será resolvido criando uma nova rede social, pelo simples e óbvio motivo de que ela também será perseguida, exatamente como os esquerdistas já fazem com as redes sociais existentes.

Aliás, migrando para uma nova rede social, os conservadores ficam mais fragilizados ainda, pois terão dispensado uma estrutura gigantesca em troca de uma aposta que, se por acaso vingar, não sobreviverá aos processos, achaques, subornos e ameaças de todo tipo.

Uma nova rede social, dentro do molde "vamos nos livrar desse cerco dos esquerdistas", é de uma ingenuidade atroz. É muito mais fácil, ou melhor, menos hercúleo, lutar para manter e ampliar o espaço já conquistado.

Isso porque os esquerdistas sempre perseguirão os conservadores, não importando para onde migrem, presencial ou virtualmente. Essa perseguição é parte essencial do marxismo.

Portanto, e para variar, em se tratando de esquerda, a solução está única e exclusivamente no árduo caminho do enfrentamento contínuo, e não no caminho indigno e suicida da fuga.

Muitos conservadores já se deram ao trabalho de mapear quem são os grupos e instituições esquerdistas que enfraquecem as redes sociais para, assim, fortalecer a criminalidade. Os inimigos são conhecidíssimos.

Trata-se, então, não de trocar de rede social, mas trocar a covardia pela coragem social e governamental.