Postagem Observatório

Entidades dizem que redução da Selic foi decisão acertada

Data da publicação:

Para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Copom tomou uma decisão acertada ao reduzir a taxa de juros. Em nota, a entidade disse que foi uma decisão em um "movimento de continuidade à flexibilização monetária".

O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, disse que a expectativa de inflação abaixo do centro da meta em 2019 e em 2020, o ritmo de atividade econômica moderado e a elevada taxa de desemprego corroboraram para a decisão da redução da Selic. "A redução também se fundamenta no avanço da agenda de políticas e medidas que asseguram a estabilidade macroeconômica, principalmente no campo fiscal, como a reforma da Previdência", disse.

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) também avaliou como positivo o corte da taxa Selic. Em nota, a federação avaliou que o Copom "não entrou no clima de euforia no início de 2019, resistiu para não diminuir os juros à época, e também não se apavorou quando a inflação deu sinais de elevação diante de um cenário político mais conturbado no primeiro trimestre".

"Para a FecomercioSP, a redução da Selic é indispensável para acelerar a retomada do emprego e baixar o custo da dívida, principalmente, para um país com elevado grau de endividamento como o Brasil", diz a nota.

A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) declarou, em nota, que apoiou a redução de 0,5 ponto porcentual da taxa básica de juros da economia. De acordo com a entidade, "a lenta recuperação da economia e o cenário de inflação sob controle abrem espaço para reduções da taxa de juros nas próximas reuniões".

Na nota, a Firjan "destaca a perspectiva de melhora do ambiente fiscal em função da aprovação da reforma da Previdência na Câmara Federal".

Por Agência Brasil*

*: Colaborou Douglas Corrêa