Postagem Observatório

Cubana processa a Opas por trabalho escravo no Mais Médicos

Data da publicação:

A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), intermediária de programas como o "Mais Médicos", que explora a mão-de-obra de profissionais de medicina cubanos, é alvo de um milionário processo de indenização da médica Ramona Matos, que conseguiu driblar a vigilância da polícia política de Cuba e fugiu do Brasil para os EUA, segundo informações da coluna de Cláudio Humberto no Diário do Poder, divulgadas neste último sábado (05).

O processo corre na Justiça do estado americano da Flórida, uma vez que no Brasil, diferente dos EUA, a entidade possui imunidade diplomática.

Importante lembrar que, no programa Mais Médicos, implementado no governo Dilma, cada médico cubano custava R$ 10 mil por mês, sendo que estes recebiam de fato apenas R$ 1 mil, sendo o restante repassado ao regime castrista. Um ano depois, cada médico recebia R$ 3 mil.

E não menos importante lembrar que, na quarta-feira da semana passada (02), O Antagonista noticiou o fato de que a Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure) dará apoio gratuito aos médicos cubanos que processarem o regime e a Opas.

Redigido por Marcos Jr.

O conteúdo desta matéria pode ser reproduzido livremente, desde que devidamente citadas a fonte e o autor.