Postagem Observatório
Sileno Cezar Guimarães
Ver conteúdo desse autor

Aliança Pelo Brasil

Data da publicação:

Lendo atentamente o programa do novo partido "Aliança pelo Brasil", percebo a noção indelével do compromisso que esta carta de intenções tem para com o momento político da nação.

Não se trata aqui, vistas as passagens que transcrevo, de uma simples carta cheia de boas e equivocadas intenções, como de costume dos demais e já desgastados partidos, com ideologias socialistas sempre disfarçadas de ingênuas bandeiras sociais que tão facilmente alimentam a hipertrofia do estado, no excesso de intervenções que sufocam as liberdades do indivíduo.

"De fato, o povo brasileiro reencontrou sua própria voz e, com ela, bradou contra a opressão daqueles que, não satisfeitos em assaltar os cofres públicos, queriam até mesmo roubar-lhe a identidade e o espírito."

Não foi redigida por quem pretendesse, nela, inovar no estilo piegas da eloquência, como de hábito dos velhos caciques, mas da firmeza de propósito que se espera para o futuro da nação.

"Em 2013, o povo brasileiro, outra vez, disse "não" aos donos do poder. Desta vez, não o fez em um referendo convocado por burocratas e passível de ser ignorado, mas nas ruas, de onde bradou, ainda que sem muita clareza, que desejava tomar o destino da nação em suas próprias mãos e conduzi-la para as mudanças que tanto ansiava."

Alinhando-se, portanto, aos únicos e verdadeiros direitos do cidadão, do direito à vida, à liberdade e à propriedade que fundamentam o único e legítimo estado de direito.

"comprometido com a liberdade e com a ordem, e que possa servir ao povo brasileiro como um instrumento seguro para a repercussão de sua voz, para a sua plena representação e para a realização de sua vocação (...)O partido promoverá a proteção da livre iniciativa e do livre exercício da atividade econômica e defenderá o papel fundamental e positivo da empresa, do livre mercado, da propriedade privada e da consequente responsabilidade dos meios de produção e da livre criatividade humana no setor da economia. Reconhece, ainda, o lugar das famílias e dos pequenos empreendedores como produtores de riqueza, de acordo com o princípio da subsidiariedade"

Essas são as bases da civilização ocidental, judaico-cristã, e o único caminho seguro a percorrer para que não feneça, para as gerações futuras. Imanente desta epopeia ocidental, que nos tornou o modelo mais bem sucedido das experiências humanas, só este caminho, ladrilhado pelo tempo, desde as pólis ,civitas  até a formação da república parece sensível ao homem de bem, sem jamais sobrepor a soberania das nações à liberdade dos indivíduos e o seu direito inalienável pela busca da felicidade.

"o partido toma como seus os valores fundantes do Evangelho e da Civilização Ocidental, herdeira do virtuoso encontro entre as cidades de Jerusalém, de Atenas e de Roma, ciente de que o povo brasileiro acredita que Deus é o garantidor do verdadeiro desenvolvimento humano".

O que de fato, a tornar-se mais do que uma carta de intenções, talvez estejamos lendo um dos documentos mais relevantes da história do país.