Postagem Observatório

A Cegueira Suicida

Data da publicação:

A direita sempre teve uma grande vantagem, mas em poucas situações históricas soube usá-la: a criminalidade esquerdista é sincera. Ela não esconde o que é, nem o que pretende, e nem como atingirá seus objetivos.

Não há crime que a esquerda cometa que ela não anuncie antes. Ela faz isso por dois motivos. Primeiro, porque precisa se comunicar com seus seguidores, os tais "movimentos populares"; e segundo porque é dominada por uma espécie de psicopatia que só se satisfaz se houver anunciações.

Claro, a esquerda também tece uma rede mafiosa de intimidações e distorções da realidade, a qual chamamos popularmente de "guerra cultural"; mas até a guerra cultural, antes de ser executada e se alastrar pelo mundo, foi planejada e anunciada por Gramsci em seus "Cadernos do Cárcere", escritos entre 1926 e 1937.

E muito antes, mais precisamente em 21 de fevereiro de 1848, Marx e Engels publicaram "O Manifesto Comunista", onde os dois delinquentes dizem claramente que vão usar da violência e outros métodos ilegais para acabar com a propriedade privada e chegar ao poder das nações.

Em 1977, Sartre e Simone de Beauvior publicaram no jornal "Le Monde" um texto de abaixo assinado defendendo a pedofilia e exigindo a libertação de três criminosos que violentaram crianças de 11 a 14 anos.

Nos anos 1960, Ronald Laing defendeu a introdução da loucura e dos loucos na sociedade visando solapá-la; Michel Foucault, com o mesmo intuito "revolucionário", pregou a aceitação carinhosa dos bandidos; e Adorno pregou a destruição da família.

A sinceridade psicopática da esquerda não atinge apenas a elite do mal. A sua ralé também é sincera, em todos os tempos e lugares. Marilena Chauí não esconde que "odeia a classe média"; Zé Dirceu diz que o poder será tomado sem eleições, e que os conservadores deverão "aguentar as consequências".

A ralé da ralé esquerdista, composta por jornalistas, também não esconde suas intenções. Louva-se abertamente Adélio, apenas lamentando sua incompetência no uso da faca. Defende-se invasões de propriedade. Demoniza-se a polícia. Mistifica-se a bandidagem.

A esquerda acumula 100 milhões de assassinatos nas ditaduras que espalharam pelo mundo porque a direita tem, historicamente, uma tolerância que esses animais não merecem. Animais que informam previamente a destruição que irão causar.