Artigos

Fábio Costa Pereira
Ver conteúdo desse autor

Mito a desconstruir V: Prisão não resolve

Data da publicação:

Confesso a vocês que, quando iniciei a série Mitos a Desconstruir, não tinha a noção de quanto falar o óbvio era importante. Em nosso país, ao longo das últimas décadas, o reconhecimento do óbvio tornou-se artigo raro no mercado e a sua menção motivo de espanto. Não é outro o caso do tema que hoje resolvi escrever.

André Assi Barreto
Ver conteúdo desse autor

O que é a direita continental?

Data da publicação:

Não há quem negue que houve um boom no pensamento de direita no Brasil nos últimos dez anos. Coisa séria mesmo. Eventos, palestras, livros, editoras, periódicos etc. E como tudo, há o ônus e o bônus.

Fábio Costa Pereira
Ver conteúdo desse autor

Mitos a desconstruir IV: o Brasil prende demais

Data da publicação:

Em 2018, o Ministro da Segurança, em várias matérias jornalísticas e em manifestações pessoais, continuava a entoar o mesmo mantra falando em “encarceramento em massa, punitivismo exagerado e equivocado”.

A morte do homem

Data da publicação:

Estamos vivendo uma guerra terrível. De um lado o establishment impiedoso e cruel, cheio de sangue nas mãos e dono de uma máquina sinistra de extração de riqueza do povo. Do outro temos um povo dividido e algo confuso.

Os elos do progressismo: um exemplo prático

Data da publicação:

É preciso perceber como o marxismo cultural trabalha em várias frentes, e como as distorções em várias áreas terminam, mais cedo ou mais tarde, desembocando em situações reais, embora de contornos surreais.

Fábio Costa Pereira
Ver conteúdo desse autor

Mitos a desconstruir III: a pobreza e a desigualdade são as “causas” da criminalidade

Data da publicação:

De antemão peço desculpas, pois o texto a seguir será longo. O terceiro mito precisa ser bem sepultado, portanto difícil sintetizar a quantidade de equívocos que ele carrega consigo sem algumas explicações a mais.

A morte do direito de legítima defesa

Data da publicação:

Os efeitos do marxismo cultural no corpo social são claríssimos, reais e assustadores, a exemplo do ativismo judicial, que é a luta da esquerda para proteger o bandido a partir da distorção das leis vigentes e da criação de leis moralmente distorcidas. É o surrealismo jurídico como a maior arma da criminalidade. O STF não está sozinho. É um processo deletério que toma todas as instâncias.

André Assi Barreto
Ver conteúdo desse autor

A metafísica contraditória do messianismo ambientalista

Data da publicação:

H. G. Wells, ateu convicto e professo, no livro The Time Machine, apresenta em linguagem literária o que é a visão de mundo materialista sobre o destino vindouro da humanidade. No futuro muito distante retratado no livro, a espécie humana tal como a conhecemos hoje não existe mais. Algumas espécies sobreviveram, os seres humanos não.

O caso Alvim e os escravos silenciosos

Data da publicação:

O crescimento do conservadorismo no Brasil tem evidenciado um fenômeno que vinha passando praticamente despercebido: uma massa de pessoas com tendências conservadoras que se submetem ao esquerdismo contra sua vontade.

Sileno Cezar Guimarães
Ver conteúdo desse autor

O cala-boca da Política versus a voz do Povo

Data da publicação:

Quando os fundamentos mais elementares da política escapam à percepção do próprio agente político, mostram um claríssimo sintoma de degenerescência do imaginário nacional, perdendo as qualidades próprias e inerentes do seu gênero.

O Diabo Enamorado

Data da publicação:

A verdadeira Nova Era não tem a ver com aquário e peixes, e nem com danças bichogrilosas em torno de árvores e fogueiras; e muito menos com as seitas do aquecimento global e do terraplanismo, mas com isto: o despertar do homem comum para a sordidez do esquerdismo.

Fábio Costa Pereira
Ver conteúdo desse autor

Mitos a desconstruir II: o tráfico de drogas não é crime violento?

Data da publicação:

Se o tráfico é um Crime não violento, pergunto-me: Por que, em todo o Brasil, as organizações criminosas precisam de verdadeiros exércitos armados para defender e tomar territórios, bem como para acabar (em sentido literal) com adversários e devedores?

A força de um discurso!

Data da publicação:

De fato, foi um discurso capaz de retornar ao povo brasileiro uma parte do orgulho perdido em tantas edições anteriores e em tanta repetição de que somos vira-latas perante o mundo.

André Assi Barreto
Ver conteúdo desse autor

O que penso sobre o problema do aquecimento global

Data da publicação:

Aquecimento global para quem não é climatologista

Sileno Cezar Guimarães
Ver conteúdo desse autor

Carta para Fernanda

Data da publicação:

Caríssima Fernanda Montenegro, tenho acompanhado com atenção suas recentes declarações à respeito do atual governo, que parece mesmo não ser de vosso gosto político.

Fábio Costa Pereira
Ver conteúdo desse autor

Mitos a Desconstruir I: A Polícia Brasileira é a mais violenta do mundo

Data da publicação:

Confesso que cansei de certas coisas, na verdade quase todas as coisas, que os nossos “especialistas” em Segurança Pública falam e são passadas para o público em geral como verdades absolutas.

André Assi Barreto
Ver conteúdo desse autor

O flagelo da educação

Data da publicação:

A ojeriza social que o brasileiro tem pela cultura, pelo conhecimento e pelo saber só poderia resultar em catástrofe retumbante em nível escolar. Muita gente não aprende porque não quer e porque não gosta e isso é um dado cultural brasileiro que tem de ser levado em conta e que não será resolvido da noite para o dia.

Like
1
Sileno Cezar Guimarães
Ver conteúdo desse autor

Cherchez La Femme!

Data da publicação:

Famosa expressão, que se tornou popular para toda uma geração do século XX – cento e sessenta anos depois da trilogia publicada no jornal de Paris, por Alexandre Dumas pai em 1854 – Il y a une femme dans toute les affaires; aussitôt qu'on me fait un rapport, je dis: “Cherchez la femme”, Há sempre uma mulher envolvida em todos os casos.

Fábio Costa Pereira
Ver conteúdo desse autor

11 de setembro

Data da publicação:

Hoje é 11 de setembro, data em que devemos relembrar e reverenciar a memória de todos aqueles que morreram, de forma cruel pelas mãos de terroristas.

André Assi Barreto
Ver conteúdo desse autor

Não, Boris Johnson e Elizabeth II não estão brincando de Charles I

Data da publicação:

Qualquer observador atento do universo da política pode notar a harmonia geral de ideias e ações da esquerda no mundo todo. Uma vez que qualquer decisão democrática de seu desagrado ideológico aconteça, os canhotos erigem acusações sobre a ascensão do fascismo, do autoritarismo, vaticinam o fim da democracia e acusam algum tipo de “golpe”.

Sileno Cezar Guimarães
Ver conteúdo desse autor

 Vergonha na cara, brasileiros!

Data da publicação:

Sim, o Brasil está mudando num vertiginoso processo de amadurecimento intelectual. Sinto uma mudança ontológica.

Pesquisas de opinião: apreciem com moderação

Data da publicação:

As pesquisas de opinião, há algum tempo, têm sido objeto de discussão e de questionamento na imprensa e nas redes sociais.

Bernardo Guimarães Ribeiro
Ver conteúdo desse autor

Você não pode ceder um milímetro

Data da publicação:

O politicamente correto avança a galope contra o senso comum. Se antes fincava pés em situações reais, hoje já não esconde sua sanha fantasiosa, num empreendimento dedicado à criação de narrativas ocas, que, mais tarde, de tão introjetadas, convertem-se em axiomas.

Fábio Costa Pereira
Ver conteúdo desse autor

Tá tranquilo e favorável, para os criminosos brasileiros

Data da publicação:

Toda a semana este país brinda-me com uma miríade de assuntos para comentar. Dentre todos os disponíveis, vejo-me na obrigação de escolher um para analisar na coluna do diário eletrônico que, religiosamente,  escrevo. 

André Assi Barreto
Ver conteúdo desse autor

“Eco-messianismo” de 16 anos: o problema com Greta Thunberg

Data da publicação:

Não deveria surpreender ninguém usarem uma adolescente para liderar e simbolizar um movimento atrelado à histeria ambiental. Jovens são... precoces. Todo jovem acha ou que o mundo vai acabar amanhã (justiça seja feita, Al Gore e Stephen Hawking, adultos, padeceram do mesmo) ou que, pelo menos o seu mundinho, vai acabar amanhã.

Bernardo Guimarães Ribeiro
Ver conteúdo desse autor

Palavrões, torcida e futebol: preconceito ou histeria?

Data da publicação:

O estádio de futebol sempre foi um espaço muito democrático e permissivo às manifestações popularescas mais diversas. Da indumentária exótica aos gritos, cantos, choros e palavrões, nas arquibancadas do esporte mais popular no Brasil imperava o que havia de mais rude e tosco no torcedor, ao tempo em que trazia também sua inesgotável criatividade, irreverência e espontaneidade.

Sileno Cezar Guimarães
Ver conteúdo desse autor

A “Democracia” do “Toma-lá, Dá-cá”: A enfadonha cirando de maus versos e boas propinas

Data da publicação:

Derrubado por esmagadora maioria, o veto presidencial ao terceiro parágrafo do artigo 326-A - sim, uma lei bem longa - em função da absurda desproporcionalidade da pena de 2 a 8 anos de prisão por divulgar essa tal de “Fake News”... Restou-nos o claríssimo recado de que, na democracia brasileira, tudo, menos o povo é representado.

Fábio Costa Pereira
Ver conteúdo desse autor

Não tenho plano B

Data da publicação:

No meu singular caso, não tenho um plano B, se tudo por aqui der errado, para mim não há outra opção. O Brasil, pura e simplesmente, precisa dar certo. Sou brasileiro, não tenho cidadania estrangeira e, muito menos, há a possibilidade de me mudar para Miami ou Lisboa como muitos amigos.

Bernardo Guimarães Ribeiro
Ver conteúdo desse autor

Quanto custa um novo direito?

Data da publicação:

No Brasil, infelizmente, a falta de consciência econômica dos parlamentares, aliada à intenção de autopromoção pela adesão das pautas ditas inclusivas, tem elevado o custo de vida da população em geral.

Macron, o isolado aspirante a colonizador

Data da publicação:

Se, no século XXI, a política ambiental de Bolsonaro remonta às práticas soviéticas no século XX, a diplomacia do “Júpiter” Macron no episódio das queimadas da Amazônia brasileira remonta ao império colonial francês do final do século XIX.

Gold Like
1